NOVO! Destaques Semanais - Europa


Elaborado por Jorge Barros Luís.
Economista-chefe do Banco Banif.


04/10/2000

  • Os mercados de acções têm continuado a reagir negativamente às perspectivas de menor crescimento económico mundial durante o semestre em curso. No entanto, a dimensão das correcções já verificadas e as cotações dos derivados financeiros parecem estar a reflectir um pessimismo excessivo em relação à evolução macroeconómica em 2001, atendendo ao dinamismo mantido pela procura interna nos EUA e na zona Euro.

  • O mercado de obrigações não tem beneficiado da evolução desfavorável dos preços das acções, tendo em conta a incerteza que se mantém em relação à evolução do nível de preços. No entanto, a estabilização dos preços do petróleo em níveis inferiores aos recentemente observados e o fluxo de fundos de acções para obrigações poderão contribuir para nova redução do declive da curva de Treasuries.

  • A estabilidade parece ter regressado ao mercado cambial, depois da intervenção cambial concertada realizada no dia 22. O sucesso desta intervenção ficou bem patente após o "não" dinamarquês à moeda única, com a cotação do euro face ao dólar a permanecer em torno dos 88 cêntimos, os risk-reversals face ao dólar a manterem-se positivos e as volatilidades implícitas em queda.

  • Relativamente à zona euro é de esperar que a evolução dos preços no produtor e consumidor continue a ser desfavorável até ao fim do ano. Contudo, se o euro mantiver a sua trajectória de estabilidade face ao dólar e se o preço do petróleo não ultrapassar significativamente os valores actuais, as perspectivas de evolução de preços em 2001 poderão ser positivas, desde que exista rigor na condução das políticas orçamentais e de rendimentos nos países da zona euro.

    Versão para Imprimir

    Make your own free website on Tripod.com